Título: Seis Histórias às Avessas

Autor: Luísa Ducla Soares

Ilustrador: Fátima Afonso

Editora: Civilização Editora

 

 
 

 

O livro “Seis Histórias às Avessas” tem seis histórias mas a história que eu gostei mais foi “ O Monstro”. Eu vou fazer o resumo dessa história que é este:

 

 

O Monstro

 

     Era uma vez um bicho que estava muito sossegado a tomar banho de mar e ficou preso nas malhas da rede. Toda a gente que o via, achava-o muito estranho.

     Um veterinário reparou que ele não bebia nem comia e resolveu levá-lo a andar no carro para ver se uma saída lhe abria o apetite. Mas aconteceu uma coisa muito estranha: o bicho arrancou o tampão da gasolina e pôs-se  a chupar.

     Daí por diante, três vezes por dia, o monstro tomava um biberão de gasolina. No mês seguinte, três vezes por dia tomava um bidão de gasolina. No ano seguinte, três vezes por dia tomava um camião de gasolina.

     A Direção do Jardim Zoológico não aguentava a despesa e pensou em vendê-lo, mas ao preço que a gasolina está, quem é que o quereria comprar?

     Ao saber da sentença, o veterinário deixou-o fugir. 

     Todas as noites, uma estação de serviço era assaltada, por gasolina, gasóleo, óleo e tudo que fosse feito de petróleo. O Presidente da República decidiu matar o monstro pois a nação precisava de petróleo.

     Entretanto, um petroleiro afundou-se na baía de Cascais e ondas de petróleo taparam o oceano, o rio e as praias. Os curiosos bisbilhotavam, os fotógrafos tiravam fotografias, os sábios faziam projetos para salvar Portugal do petróleo, quando, de repente, o monstro avançou para o mar com a boca aberta. Onde ele passava a areia ficava branca e a água ficava de novo azul.

     As pessoas ficaram muito contentes ao ver aquilo e elogiaram muito o monstro. Quando toda a maré negra foi devorada, o Presidente da Republica condecorou-o no Palácio de Belém.

     Todo o governo bebeu vinho do Porto à saúde do monstro mas, para ele, abriu-se uma garrafa de gasolina super. Nesse mesmo dia, a Lisnave contratou-o para limpar, no rio Tejo, petroleiros de todo o mundo.

 

 

Inês Regina    

publicado por turminhafabulosa às 21:11